Unidados Contabilidade

Notícias

Síndrome do Impostor atinge 70% da população

Especialista indica como identificar e ter mais confiança no trabalho

Segundo pesquisas da Universidade Dominicana da Califórnia, cerca de 70% das pessoas no mundo sentem que são uma fraude no ambiente de trabalho. Esse sentimento, conhecido como a Síndrome do Impostor, teve um crescimento ainda maior durante a pandemia, uma vez que os novos modelos de trabalho despertaram inseguranças com relação ao desempenho profissional.

A Síndrome do Impostor é um sentimento de insegurança, que segundo a coach, palestrante e diretora da Febracis Paraná, Daniella Kirsten, pode ser definido como uma incapacidade de internalizar o sucesso e uma autopercepção de falsidade intelectual. “Para quem sofre do problema, não importa as realizações e os esforços feitos na sua carreira, a sensação é de frustração, insuficiência e de que todos os resultados conquistados são fruto da sorte e não do esforço individual”, conta.

Daniella explica que os gatilhos normalmente estão associados a pessoas em cargos de exposição, liderança, ou mesmo quando recebem uma promoção que requeira mais responsabilidade e visibilidade. “Sentir que não tem o domínio da situação pode ser um agravante, mas normalmente essa é uma condição de autossabotagem, quando o indivíduo constrói uma percepção de incompetência de si mesmo. Todos nós temos uma pré-disposição ao demérito, porém, dependendo do modelo mental e da forma como cada um pensa, essa sensação pode ser maior ou menor”, explica a coach.

Apesar do assunto estar cada vez mais difundido, é ainda difícil identificar a Síndrome do Impostor, uma vez que é um processo silencioso. “A autossabotagem é difícil de ser identificada sem ajuda de um profissional, pois leva a pessoa a criar obstáculos inconscientes para si mesma, que a levem ao fracasso. Algumas atitudes são bem comuns, como, por exemplo, a criação de metas impossíveis, criadas justamente para que haja a falha na execução, levando a pessoa a se reafirmar como fraude. Esse é o ciclo do impostor”, afirma Daniella.

Enquanto a autossabotagem pode ser mais difícil de identificar, outros sintomas podem fazer soar o alerta de ajuda, como:

  • Pensamentos repetitivos sobre ser uma farsa;
  • Medo de ser desmascarado(a);
  • Descrença sobre a própria capacidade;
  • Associação de resultados a sorte ou interferência de terceiros;
  • Procrastinação;
  • Sensação constante de frustração e tristeza intensa.

Daniella conta que ao se deparar com as manifestações acima, a pessoa deve, primeiramente, reconhecê-las em sim e em situações reais. Depois deve investir em buscar formas de combater e melhorar esse sentimento, reconhecendo os seus pontos fortes e melhorando as fragilidades. “A ajuda de um profissional é muito importante, pois o processo de autoafirmação passa por muitas questões pessoais, mas algumas atitudes diárias podem fazer a diferença no curto-médio prazo”.

Abaixo Daniella dá algumas dicas de como lidar com a Síndrome do Impostor:

  • Ao escolher um novo desafio, tente focar nas conquistas decorrente dele, ao pensar nos erros, pense nas lições aprendidas com ele;
  • Compartilhe frustrações e dificuldades;
  • Evite comparações improdutivas, aceite-se mais;
  • Aprenda a identificar e respeitar as suas limitações – elas são essenciais na busca pelo autoconhecimento;
  • Busque entender que as falhas e frustrações existem e são fundamentais para o seu crescimento;
  • Exercite-se, tenha hobbies, busque estar inserido em ambientes que proporcionem crescimento pessoal e profissional;
  • Participe de situações que gerem prazer e bem-estar e acostume-se com essas sensações positivas;
  • Tenha um mentor e pratique seus pontos de melhoria e qualidades com um coaching especialista em lidar com a situação.

Últimas Notícias

  • Empresariais
  • Técnicas
  • Estaduais
  • Artigos
  • Melhores

Agenda Tributária

Período: Julho/2022
D S T Q Q S S
     0102
03040506070809
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Cotação Dólar